domingo, 13 de novembro de 2016

Dias felizes


Descobri que estou na melhor fase da minha vida. Depois de alguns tropeços, erros e palavras em vão, entrei em uma fase tão gostosa, tão batalhada, sabe? Porque se tem alguém que merece esse sossego, esse alguém sou eu. Só Deus sabe por onde andei, tudo o que vi, ouvi e o quanto eu senti. Só Deus mesmo, que esteve comigo em cada partida. E quase como num passe de mágica, eu amadureci. Chega uma hora da vida que a gente precisa parar de se lamentar; é seguir em frente ou nada mais. E foi assim, eu acordei, abri a janela do meu quarto e vi um dia lindo, um céu azul, a brisa batendo de leve nos meus cabelos, uma sensação gostosa de liberdade e aquela certeza de que não há mais tempo pra nada, além de ser feliz. Só quem já passou por dias cinza, sabe dar valor aos dias de sol. Mandei embora aquela nuvenzinha negra que pairava sobre minha cabeça e dei mais uma chance a vida, mas principalmente, dei mais uma chance a mim. Porque eu sei que mereço, e mereço muito. Confesso que demorei bastante pra chegar até aqui, dia após dia fui conquistando uma leveza, uma calma que jamais pensei que existisse. Conheci tanta gente bacana nesses últimos meses, tantos lugares novos que fizeram parte desse meu crescimento. Não existe nada mais gratificante, que encontrar amigos que te ajudem a carregar o fardo colocado sobre os seus ombros. E eu encontrei, e eles foram me ajudando, tirando aos poucos o peso e de repente eu me senti tão leve, tão livre, que não consigo me lembrar em que lugar do caminho que eu me vi liberta e feliz. Descobri que há tanta felicidade espalhada por aí, em forma de amigos, lugares, livros e família, que hoje eu já não me importo se a minha sexta-feira vai ser em algum lugar badalado rodeada de amigos, ou se ficarei em casa, na minha cama quentinha assistindo minha série preferida sozinha, porque aprendi mais do que nunca a gostar da minha própria companhia.

Amanda Sanches

sábado, 5 de novembro de 2016

Tudo o que vivi no passado trouxe meu caminho até voce


E quando eu menos esperava, apareceu alguém pra mudar minha vida, mudar minha rotina, me virar do avesso. Não sei se com isso ele quer me salvar, ou fazer com que eu me perca de vez. Sem problemas, eu pago o preço, corro o risco. Nunca fui de correr do amor por medo. Medo eu tenho de sobra, mas eu supero, sigo em frente, e seja o que Deus quiser. Mas agora, com ele, está sendo tudo tão diferente, novo, e bom. Juro que nunca vivi algo assim, tão calmo, tão maduro, tão tranquilo. É claro que eu continuo com as minhas crises de medo, e minha insegurança excessiva, mas agora eu durmo tranquila, e acordo feliz. E eu nem sei direito o que ele me causa, mas eu sei o bem que ele me faz, e só isso importa agora. Eu, sempre mar agitado, ele sempre calmaria; se tornou meu refúgio, me trouxe um pouco mais de paz. Quando tudo era escuridão, ele se tornou luz, me fez enxergar além, consegui perceber que tudo o que vivi antes, me fez caminhar até aqui, levou o meu caminho até ele. Ele sempre mais calmo, mais tranquilo, mais maduro; eu sempre menina, afobada, querendo tudo agora; aprendi à esperar, aprendi que tudo tem seu tempo. Não sei bem como aconteceu, e nem o que vai acontecer, só sei que eu to me permitindo viver toda essa loucura, sem medos, sem cobranças, sem idealizações.

Amanda Sanches

sábado, 29 de outubro de 2016

Eu sou assim


Não gosto de gente duas caras, não aceito falsidade. Detesto homens conquistadores e suas cantadas sujas. Fujo para bem longe de quem só cuida do corpo e esquece da mente; barriga de tanquinho e cérebro atrofiado, pra mim não serve. Abomino traição. Quem não respeita o próximo, não respeita a si próprio. Sou mulher de um homem só. Não suporto fofocas e mentiras. Aprendi que quem muito fala da vida dos outros, é porque tem algo à esconder. Não me iludo com palavras, muito menos com presentes caros. Não sou uma mercadoria e muito menos estou à venda. Sou cheia de conceitos, de princípios, de manias e, não espero que me entendam, mas respeito é o mínimo que eu posso exigir.

Amanda Sanches

sábado, 22 de outubro de 2016

Você me ganhou nos detalhes

Joguei a toalha, eu me rendo! Desisto, jogo ganho, 1x0 pra você. Levantei a bandeira branca faz tempo e aceitei a derrota. Você me pegou desprevenida, chegou de mansinho, ganhou espaço, tomou conta de tudo. Jogo sujo esse seu, sabia? Jogo sujo me desarmar desse jeito, me deixar sem fala, sem ar, sem reação. Você passa por mim, eu paro, fico tonta sem saber o que fazer. Tento não deixar transparecer nenhuma emoção, não parecer afetada e para isso finjo um auto controle que perto de você eu não tenho. Minto para mim e para todas as minhas amigas que você não me abala, não me afeta, não me desestrutura. Acontece, que o mundo já sabe que é tudo mentira. Quem me conhece, sabe só pelo meu jeito de te olhar que você me atravessa, me faz refém. O inferno todo é que você sabe disso, sabe que de alguma forma mexe comigo; usa e abusa do poder que tem. De longe, a promessa de encrenca mais tentadora da minha vida. Por isso eu me entrego, me jogo, dou a cara à tapa. Não tenho medo do futuro, não sou de arregar fácil assim; então pode fazer tipo, cena e cara de mau, que eu me viro, eu me garanto. Você virou foco, uma espécie de meta a ser cumprida. Quero o empate desse jogo, a melhor de três. O seu olhar não me engana e, eu sei que você também quer tanto quanto eu quero. Eu preciso ouvir da sua boca tudo aquilo que o seu sorriso já me contou. Essa troca de olhares já deixou de ser estimulante, sua timidez é um charme até a página dois. Então faz assim, sai da sua zona de conforto e me pede pra ficar. Porque te esperar por mais um mês, uma semana, um dia, requer muito de mim e, eu não sei se eu tenho todo esse tempo; eu não sei se eu tenho auto controle suficiente para me manter serena e calma sem saber qual é o gosto que tem ficar ao seu lado, sem saber o arrepio que o seu toque pode me dar. Eu não sou de falar, não costumo ser direta e dar o primeiro passo sem saber a direção, mas para você eu abro uma exceção. Você já sabe que o que eu quero só você pode me dar, então vem e me garante. Vem pra mim e deixa que do resto eu cuido.

Amanda Sanches

domingo, 29 de maio de 2016

Sobre a saudade de você

Passo a maior parte do meu tempo livre pensando numa forma de te trazer para perto de mim. Não sei mais o que fazer das minhas noites, porque quando finalmente consigo dormir, você aparece nos meus sonhos acabando com todo o esforço que eu fiz durante o dia para não pensar em você. E a minha vida ultimamente tem se resumido à isso: primeiro eu penso em mil possibilidades de um recomeço, depois eu aceito o fim, e por fim eu adormeço e você vem me visitar nos meus sonhos. Você não faz idéia da falta que eu sinto da sua companhia, do seu sorriso, do seu jeito de me olhar. Eu quase morro todos os dias de saudade dos dias que passamos juntos, da sua mão brincando com o meu cabelo, da forma de como eu era leve ao seu lado. E os dias vão passando, mas o sentimento insiste em permanecer. Até tento me distrair, sair com as amigas, conhecer gente nova e lugares novos, mas a verdade é que por mais que eu ame minhas amigas e a minha vida, eu sinto falta do seu amor. Eu não consigo entender o que aconteceu, em qual momento eu me perdi de você, tudo o que eu sei é que fomos indo para direções opostas, mas os nossos caminhos ainda se encontram por aí e, é por isso que eu ainda acredito em nós dois juntos mais uma vez. Porque se não fosse amor, não haveria reencontros. Então de uma vez por todas, vem pra ficar. Vem sem medo, sem receios, sem orgulho. Vem e repousa no meu colo. Vem porque eu te quero bem e, se você vir o sentimento refloresce. Pra quê esperar tanto tempo? Usa o tempo ao nosso favor, você do meu lado, a gente aprendendo à amar e a cuidar. Esquece o passado e vem. Fica só mais um dia, uma semana, um mês, um ano, e por distração fica a vida inteira.
Amanda Sanches

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Quando o amor nasce da amizade


E você nem imagina o quanto eu lutei contra isso tudo. Eu não queria me envolver, e sentir todas essas coisas que a gente sente quando gosta de alguém. Meu objetivo de vida era seguir sozinha, coração limpo, casa arrumada. Tava com medo de me envolver de novo, de criar mil expectativas e ver uma por uma morrer. O que eu queria era ser feliz, sem ter medo. Feliz a sós. Eu e todas as minhas inseguranças trancadas à chave na última gaveta. Troquei amor por amizade. Foi quando você apareceu me confundindo toda. Sempre escutei aquela história que quando a gente menos espera o amor acontece, e nunca botei fé. Paguei pra ver e você aconteceu. De início você era um novo amigo e nada mais. Aos poucos você foi subindo no meu conceito. Legal. Bonito. Simpático. Sem que eu percebesse você foi tomando conta de todo o espaço, foi me bagunçando, tirou a insegurança, o medo, os bloqueios, o ciúmes, e o amor de lugar. Minhas amigas perceberam toda essa loucura, enquanto eu ainda me fazia de desentendida. Repeti pra elas, e para mim mesma várias vezes que o que eu tinha por você, era apenas um carinho de amiga, nada mais. Recusei, recuei, e caí de cara em você. Não consigo mais negar, toda vez que você aparece, me sinto melhor, mais feliz. Nossas brincadeiras me confundem, não sei onde termina a amizade e começa o amor. E mesmo que eu negue pro mundo, tá escrito da forma mais linda no meu olhar, só você não vê. Quem sabe um dia eu crie coragem pra te falar tudo isso. Quem sabe um dia você não acabe percebendo. Quem sabe um dia a gente se entenda. Dizem que alguns amores, nascem da amizade. Quem sabe não é o nosso caso, né. Quem sabe.

Amanda Sanches

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Gravidez na adolescência - menos julgamentos e mais respeito!


A sociedade tem o péssimo hábito de julgar adolescentes que engravidam e se tornam mães muito novas. Eu sinceramente não entendo essa mania de apontar o dedo na cara e ditar o que é certo e o que é errado. Não entendo mesmo. Ninguém tá livre de ter um filho sem estar preparada, ninguém sabe do futuro, e mesmo assim todos botam a boca no mundo para fazer piadinhas com a menina de 12 anos que está grávida; para julgar a garota que com 15 anos é mãe solteira. Acho ridículo esses julgamentos precipitados, essa mania podre de falar mal de tudo o que vocês acham não estar certo. Vocês só veem o que querem, não tentam enxergar o outro lado da história, olhar as coisas de outra maneira. Ninguém vê a força que essas meninas tem, ou vocês acham que ser mãe e enfrentar a sociedade é fácil? Não, não é. E mesmo assim elas levam essa gravidez adiante. Ninguém vê que geralmente essas mães são pobres e por medo de enfrentar os pais poderiam interromper a gestação ou dar o seu filho à adoção, e mesmo assim elas não desistem de ter o bebê e criam ele honestamente com amor; o que para mim é muito mais importante do que bens materiais. Com tantas mulheres por aí, que com condições financeiras de criarem seus filhos continuam optando pelo aborto vocês vem julgar logo quem não tem idade, ou até mesmo recursos e mesmo assim opta pela vida do filho? Eu particularmente admiro a garra dessas meninas. Parabéns à você que tão nova se tornou mulher e assumiu as consequências de seus atos. Parabéns à você que passa por cima da hipocrisia das pessoas e nunca pensou em interromper a gestação. Parabéns à você, pela sua força, pela sua coragem e pela sua maturidade. Parabéns, porque tem gente com o dobro da sua idade que ainda não aprendeu a calar e a respeitar o próximo.

Amanda Sanches